Walter Philip Reuther Fatos


Líder de mão-de-obra americana Walter Philip Reuther (1907-1970) foi pioneiro na sindicalização das indústrias de produção em massa. Em um movimento tradicionalmente preocupado com metas de pão e manteiga, ele dedicou sua carreira à ampliação dos horizontes políticos e sociais da mão-de-obra.<

Walter Reuther nasceu em 1º de setembro de 1907. Seu pai dirigia o corpo central de trabalho em Wheeling, W.Va., e os cinco filhos passavam as noites debatendo seriamente os problemas sociais. Walter deixou a escola aos 15 anos de idade para trabalhar em uma siderúrgica; 4 anos depois ele se mudou para Detroit, retomou seus estudos, e trabalhou à noite como ferramenteiro em fábricas de automóveis.

Reuther começou a pregar o sindicalismo antes que o New Deal do Presidente Franklin D. Roosevelt colocasse uma base legal sob negociação coletiva. O resultado foi a demissão da Reuther da Companhia Ford em 1933. Em uma viagem ao redor do mundo, ele trabalhou por mais de um ano em uma fábrica de automóveis soviética. De volta a Detroit, ele ajudou a construir a UAW (United Automobile Workers), o sindicato que se tornou a rampa de lançamento de sua influência em assuntos nacionais.

O dinâmico ruivo Reuther passou pelas linhas da guarda nacional nas greves de 1937 na General Motors; ele foi espancado pelos guardas da Ford Company em uma greve no final daquele ano. Mesmo depois que a UAW estava bem estabelecida, os bandidos fizeram dele um alvo. Em 1948, um tiro de caçadeira disparado através de uma janela de sua casa em Detroit deixou sua mão direita permanentemente aleijada. Mais tarde, seu irmão, Victor, diretor de educação do sindicato, perdeu um olho em um ataque quase idêntico.

A partir da liderança da Reuther, a UAW cresceu para 1,5 milhões de membros. Empurrou a negociação coletiva para campos inovadores que proporcionaram aos trabalhadores e suas famílias proteção de berço a berço como coadjuvante de seu salário regular. Talvez o sucesso mais espetacular tenha sido um programa financiado pelo empregador em 1955 que deu aos trabalhadores automobilísticos quase tanto o pagamento de take-home quando demitidos como quando no trabalho.

Reuther lutou consistentemente contra a corrupção, o comunismo e as tendências racistas dentro do trabalho. Convencido em 1955 de que a Federação Americana do Trabalho (AFL), liderada por George Meany, também tinha se tornado um inimigo de tais influências, ele renunciou à presidência do Congresso das Organizações Industriais (CIO) para aceitar um papel secundário em uma fusão de trabalho

movimento. Entretanto, desencantado com o que ele considerava as políticas de paralisação da AFL-CIO, ele conduziu seu sindicato novamente em 1968.

A UAW uniu-se à Irmandade Internacional de Teamsters, o maior sindicato americano, para formar uma Aliança para a Ação Trabalhista. Seu objetivo era organizar os trabalhadores pobres, especialmente em áreas de gueto, e uma cruzada para reformas sociais de longo alcance. Este empreendimento refletia a visão social da Reuther, mas morreu um ano após sua própria morte.

Reuther sempre procurou transformar a economia de acordo com os princípios da democracia industrial e da justiça social. Ele foi autor de dezenas de “planos Reuther” para a solução de problemas que vão desde habitação e saúde até desarmamento. No entanto, ele se viu cada vez mais isolado do movimento trabalhista em geral. Ele foi morto em um acidente aéreo em Michigan, em 10 de maio de 1970.

Leitura adicional sobre Walter Philip Reuther

Um estudo bem equilibrado da Reuther é William J. Eaton e Frank Cormier, Reuther (1970). Mais especializado é Alfred O. Hero, Reuther-Meany Foreign Policy Dispute (1970). Estudos mais antigos são Irving Howe e B. J. Widick, The UAW and Walter Reuther (1949), e a seção sobre Reuther em Paul Franklin Douglass, Six upon the World: Rumo a uma cultura americana para uma era industrial (1954).

Fontes Biográficas Adicionais

Barnard, John, Walter Reuther e a ascensão dos trabalhadores automotivos, Boston: Little, Brown, 1983.

Carew, Anthony, Walter Reuther,Manchester; New York: Manchester University Press; Nova Iorque: Distribuída exclusivamente nos EUA e Canadá pela St. Martin’s Press, 1993.

Lichtenstein, Nelson, O homem mais perigoso de Detroit: Walter Reuther e o destino do trabalho americano, New York, NY: Basic Books, 1995.


GOSTOU? PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS!