Protagoras Fatos


O filósofo grego Protagoras (ca. 484-ca. 414 a.C.) foi um dos professores mais conhecidos e bem sucedidos do movimento Sofista do século V a.C.

Protagoras nasceu em Abdera, a cidade nativa de Demócrito, e passou grande parte de sua vida como um Sofista itinerante, viajando por todo o mundo grego. Foi um visitante freqüente em Atenas, sendo amigo de Péricles, e foi dito que ajudou a moldar a constituição da colônia de Thurii, que os atenienses estabeleceram no sul da Itália em 444/443 a.C. Platão disse que Protágoras passou 40 anos lecionando e que morreu aos 70 anos de idade. As histórias sobre uma acusação contra Protágoras pelos atenienses, a queima de seus livros e sua morte no mar são provavelmente fictícias.

Filosofia filosófica

Protagoras ganhou seu sustento dando palestras e instrução a indivíduos e grupos. O sistema que ele ensinou pouco tinha a ver com filosofia ou com a busca de uma verdade absoluta; em vez disso, ele transmitia a seus aderentes as habilidades e conhecimentos necessários para o sucesso na vida, especialmente na política. Estas habilidades consistiam principalmente em retórica e dialética e podiam ser usadas para o fim que uma pessoa desejasse. Foi por esta razão, por ensinar as pessoas “a fazer a causa mais fraca a mais forte”, que Protagoras foi atacado, indiretamente por Aristófanes em The Clouds e diretamente por Platão em vários de seus diálogos.

Protagoras escreveu sobre uma grande variedade de assuntos. Fragmentos de algumas de suas obras sobrevivem, e os títulos de outras são conhecidos através de comentários posteriores sobre elas. Seu famoso ditado “o homem é a medida de todas as coisas” é a frase inicial de uma obra chamada de Argumentos Verdade ou Refutatórios. Ele também escreveu Sobre os Deuses, um fragmento do qual sobrevive. Nele ele diz que a obscuridade do sujeito e a brevidade da vida humana impedem qualquer conclusão definitiva. Outras obras incluem O Grande Argumento, Argumentos Contraditórios, Sobre Matemática, e A Arte da Erística, A lista de títulos preservada nas obras do biógrafo grego Diógrafos Laertius pode representar seções de obras maiores, enquanto títulos como Em Ambição, Sobre Virtudes, Sobre Erros Humanos, e Trial Concerning a Fee quase certamente representam discussões sobre os temas comuns dos discursos sofistas. A cronologia destes trabalhos é desconhecida.

Protagoras foi um exemplo perfeito do Sophist do século V. Pensadores cuidadosos poderiam, é claro, facilmente minar a base de sua relativa teoria do conhecimento; mas a atratividade de sua teoria e a influência generalizada de seus ensinamentos eram tão grandes que não menos um oponente do que Platão se esforçou para expor as falácias e o mal potencial do que ele representava.

Leitura adicional sobre Protagoras

Os fragmentos sobreviventes das obras de Protagoras são coletados em H. Diels e W. Kranz, Die Fragmente der Vorsokratiker, traduzido em Kathleen Freeman, Ancilla to the Pre-Socratic Philosophers (1948), e discutido em seu The Pre-Socratic Philosophers (1946; 3d ed. 1953). Uma excelente discussão dos Sofistas e suas contribuições à cultura grega está em Werner Jaeger, Paideia: The Ideals of Greek Culture, traduzido por Gilbert Highet, vol. 1 (1939; 2d ed. 1945). Um breve mas útil relato da importância de Protagoras pode ser encontrado em Albin Lesky, A History of Greek Literature (1966).


GOSTOU? PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS!