Jonas Edward Salk Facts


b> O médico, virologista e imunologista americano Jonas Edward Salk (nascido em 1914) desenvolveu a primeira vacina eficaz contra a poliomielite (poliomielite).<

Jonas Salk nasceu na cidade de Nova Iorque em 28 de outubro de 1914. Aos 16 anos de idade ele entrou na Faculdade da Cidade de Nova York com o pensamento de estudar Direito. Em vez disso, decidiu estudar medicina e em 1934 matriculou-se na Faculdade de Medicina da Universidade de Nova York, da qual se formou em 1939. Ele estagiou no Hospital Mount Sinai de Nova York de 1940 a 1942, quando foi para a Universidade de Michigan, onde ajudou a desenvolver uma vacina contra influenza. Em 1944 foi nomeado associado de pesquisa em epidemiologia, e em 1946 foi nomeado professor assistente.

Em 1947 Salk aceitou um cargo na Universidade de Pittsburgh como professor associado de bacteriologia, onde realizou suas pesquisas sobre uma vacina contra a poliomielite. As vacinas contra a pólio haviam sido tentadas antes, mas sem sucesso porque, como era aparente em 1949, existiam três tipos distintos de vírus da poliomielite. Isto forneceu um ponto de partida para Salk, que, trabalhando sob um subsídio da National Foundation for Infantile Paralysis, preparou uma vacina contra o vírus da pólio eficaz contra os três tipos. Os testes começaram em 1950, e o relatório preliminar sobre a eficácia da vacina foi publicado na revista Journal of the American Medical Association para 1953. Os testes de campo nacionais foram realizados em 1954, e em 1955 a vacina foi determinada como segura para uso geral.

A aceitação da vacina não foi isenta de problemas para Salk. O medo, o ceticismo, a oposição de colegas médicos que favoreceram uma vacina de vírus vivo, a produção inadequada da vacina por algumas empresas farmacêuticas, e uma promoção hollywoodiana gritante para a vacina causaram muitas críticas científicas à Salk. Muitos também sentiram que a National Foundation o havia favorecido de forma inadequada. Embora a vacina Salk fosse eficaz, ela foi substituída em grande parte pela vacina oral Sabin, uma vacina antivírus viva que, ao contrário da vacina Salk, oferece proteção permanente.

Durante suas pesquisas sobre a pólio, Salk foi nomeado professor de pesquisa de bacteriologia em Pittsburgh (1949-1954) e professor de medicina preventiva (1954-1957). Em 1957 ele foi nomeado professor de medicina experimental da Commonwealth. Em 1963 ele abriu o Salk Institute for Biological Studies em San Diego, onde ele e seus colegas estudaram problemas relacionados à reação de auto-imunização do corpo; isto é, por que o corpo rejeita material estranho, por exemplo, um transplante de órgão.

Jonas Salk morreu em junho de 1995, aos 80 anos de idade, de insuficiência cardíaca. Em sua vida, ele foi capaz de ver os efeitos do trabalho de sua vida. Quando Salk morreu, a pólio já havia praticamente desaparecido dos Estados Unidos.

Leitura adicional sobre Jonas Edward Salk

Richard Carter, Breakthrough: A Saga de Jonas Salk (1966), detalha o desenvolvimento da vacina e enfatiza a dedicação de Salk à humanidade. Uma visão mais dura do papel de Salk no desenvolvimento da vacina é John R. Wilson, Margin of Safety (1963). Vários livros contêm seções bem equilibradas sobre Salk, tais como Greer Williams, Virus Hunters (1959), e H. J. Parish, A History of Immunization (1965). Informações sobre a vida e morte de Salk podem ser encontradas lendo “The Good Doctor,” Time (3 de julho de 1995) e ” When the Vaccine Causes The Polio,” Time (30 de outubro de 1995).


GOSTOU? PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS!