Johanan ben Zakkai Facts


O professor judeu Johanan ben Zakkai (ativo ca. 70 d.C.) foi o principal expoente da lei judaica de seu tempo. Ele fundou uma importante academia em Yavneh.<

Johanan ben Zakkai era o mais jovem entre os numerosos discípulos do grande Hillel e também do adversário de Hillel, Shammai. Parece, portanto, que Johanan nasceu por volta de 15 a.C. Ele evidentemente viveu até uma idade madura, pois sobreviveu à destruição do Santo Templo em Jerusalém (70 d.C.). A tradição fala de sua vida como sendo de 120 anos. Sua mente brilhante e diligência lhe permitiu tornar-se conhecedor de todos os campos do aprendizado judaico.

Johanan ben Zakkai foi membro do Grande Sinédrio em Jerusalém, a assembléia de 71 eruditos ordenados que funcionaram tanto como Supremo Tribunal quanto como legislador. Naquele órgão, Johanan, um fariseu, debateu freqüentemente seus colegas saduceus sobre questões de direito judaico. Enquanto estava em Jerusalém, ele também presidiu uma importante yeshiva. Johanan previu que os judeus não poderiam ser vitoriosos em sua luta desesperada contra Roma; ele estava determinado, entretanto, que o judaísmo não perecesse mesmo que o estado judeu e o Templo fossem destruídos.

Embora Jerusalém estivesse sitiada, Johanan não pôde receber permissão para deixar a cidade. Ele tinha, portanto, sua

Os alunos o levam para fora de Jerusalém em um caixão, presumivelmente para o enterro. Uma vez fora da cidade, Johanan foi ver Vespasian e pediu ao general romano que poupasse a cidade de Yavneh na costa do Mediterrâneo, junto com seus estudiosos. De acordo com uma tradição Talmúdica, Johanan previu a Vespasian que logo seria escolhido imperador, e quando isso se tornou realidade, Vespasian concedeu ao rabino seus pedidos. Este foi um ponto de viragem na história judaica, pois nesta cidade sem importância de Yavneh, Johanan estabeleceu uma academia que teve imensa influência.

Johanan não foi formalmente designado como Nasi, príncipe ou chefe do Sinédrio, provavelmente porque ele não era descendente de Hillel ou de ações davídicas, como Hillel era. No entanto, ele assumiu os deveres deste cargo e o título de Rabban, que significa “nosso mestre”, que era comumente ligado ao posto de Nasi. Yavneh substituiu Jerusalém como a nova sede de um Sinédrio reconstituído, que restabeleceu sua autoridade e se tornou um meio de reunir os judeus.

Sem o Templo, era necessário um substituto para o culto sacrificial. O velho Johanan sugeriu que o culto do Templo fosse substituído por atos benevolentes; sob sua influência, a sinagoga e a casa de estudos substituíram o Templo. O importante princípio foi assim estabelecido: o judaísmo não depende para sua existência em terra ou santuário, mas sim da preservação da herança espiritual judaica— a Torá e seus ensinamentos. Este princípio desempenhou um papel vital na sobrevivência do judaísmo na Diáspora.

Fiel aos ideais de seu mestre Hillel, Rabban Johanan defendeu a paz entre os homens e as nações. Ele era escrupulosamente ético em todos os seus negócios e comportamento. Ele ensinou que o melhor atributo de caráter que um homem pode possuir é um bom coração, que ele acreditava incluir todas as outras virtudes. Suas atitudes e doutrinas elevadas fizeram do Rabban Johanan ben Zakkai o professor mais reverenciado de seu tempo.

Leitura adicional sobre Johanan ben Zakkai

Jacob Neusner, A Vida do Rabino Johanan ben Zakkai (1960), é um bom estudo geral com uma bibliografia. O sábio e seu trabalho são discutidos em “Discípulos dos Sábios” em Louis Ginsberg, Estudantes, Estudiosos e Santos (repr. 1945). Um bom esboço do trabalho de Johanan ben Zakkai em Yavneh está no capítulo 7 em George Foote Moore, Judaismo nos primeiros séculos da Era Cristã, vol. 1 (1927). Um relato histórico está em Heinrich Graetz, História dos Judeus, vol. 2, traduzido por Henrietta Szold (repr. 1940).


GOSTOU? PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS!