Fatos Tansu çiller


O controverso político e líder do Partido do Verdadeiro Caminho, Tansu çiller (nascido em 1946), serviu como primeiro-ministro da Turquia de 1993 a 1996, durante um período de extrema agitação política e volatilidade econômica. Ela começou sua carreira como professora de economia antes de entrar para a política em 1990.<

Tansu çiller nasceu em 1946 em Istambul em uma confortável casa de classe média, filha de um funcionário do governo aposentado. Ela foi para a American Girls’ School e depois para a Bosphorus University (antiga Robert College), da qual se formou em economia em 1967. Em 1963, aos 17 anos de idade, casou-se com Özer Üçuran, que adotou seu segundo nome; logo se tornou uma figura influente em sua vida. çiller veio para os Estados Unidos para o ensino superior e recebeu seu mestrado e doutorado em economia das Universidades de New Hampshire e Connecticut, respectivamente. Antes de retornar à Turquia em 1973, ela ensinou economia na Franklin e na Marshall College na Pensilvânia.

çiller ingressou na faculdade como professor assistente de economia na Universidade Bosphorus em Istambul em 1974 e foi promovido a professor associado em 1978 e professor em 1983. Durante esses anos ela estabeleceu boas relações com a comunidade empresarial da Turquia e escreveu uma série de relatórios sobre os problemas econômicos do país para a TÜSIAD, a sigla da Associação Turca de Empresários e Industriais. Estes relatórios são responsáveis pela maioria de suas publicações acadêmicas. Enquanto isso, seu marido tinha entrado no negócio, adquirindo a franquia para lojas “7-Eleven” na Turquia e a direção de um banco que entrou em falência na crise econômica dos anos 80. Entretanto, isto não prejudicou a fortuna financeira dos çillers, que haviam adquirido grande riqueza através da especulação em terras e bens imóveis.

Os anos 80 foram uma década turbulenta para a Turquia em termos políticos. Após a aquisição militar de 12 de setembro de 1980, toda a atividade política foi congelada, os partidos foram dissolvidos e os políticos foram banidos da política. Quando a política foi restaurada, em 1983, somente pessoas novas e sem manchas foram autorizadas a formar partidos. A porta foi aberta para uma nova geração de políticos, dos quais Turgut Ozal se tornou o mais famoso. Tansu çiller não entrou na política naquele momento; ela veio aos olhos do público no final dos anos 80 como uma das críticas da política econômica de Turgut Ozal. O apoio que ela desfrutava na comunidade empresarial permitiu que ela entrasse

O círculo de Süleyman Demirel como consultor em assuntos econômicos. Com a fortuna de seu Partido do Verdadeiro Caminho (TPP) em ascensão, Demirel fez com que ela se juntasse ao partido em 1990. Quando as eleições gerais foram realizadas em outubro de 1991, ela foi uma das arquitetas da política econômica de seu partido. O TPP surgiu como o maior partido no Parlamento com 178 cadeiras, mas sem a maioria necessária para formar seu próprio governo. çiller ganhou a cadeira para Istambul e entrou no Parlamento.

Demirel formou um governo de coalizão com o Partido Populista Social Democrata (SHP) e nomeou çiller para ser ministro de estado responsável pela economia. Seu programa de estabilização econômica foi apresentado em 17 de janeiro de 1992. Seu objetivo era estabilizar a economia sustentando uma taxa de crescimento razoável de 5,5% em 1992 (contra 2% em 1991); combatendo a inflação, que estava em torno de 70%, e reduzindo-a para 42%; e reduzindo o déficit orçamentário. çiller propôs a reforma do sistema tributário para ampliar a base e reestruturar as empresas econômicas estatais para que elas se tornassem lucrativas e, portanto, atraentes para os compradores privados. O sucesso do programa também dependia de investimentos e empréstimos estrangeiros, e portanto çiller viajou pelo mundo vendendo suas idéias, especialmente na Alemanha, nos Estados Unidos e no Japão.

Uma pessoa só pode especular sobre como a carreira política de Tansu çiller teria progredido se certos eventos não tivessem intervindo para abrir novas portas. A morte do Presidente Turgut Ozal em abril de 1993 deixou a presidência vaga, levando à eleição de Süleyman Demirel em 16 de maio. Isso deixou os postos de líder do Partido do Verdadeiro Caminho e primeiro-ministro

çiller não foi a escolha óbvia; ela era uma recém-chegada ao partido e relativamente inexperiente, e havia mais candidatos experientes (como Cindoruk e Ismet Sezgin) que tinham reivindicações mais fortes de liderança. Mas çiller tinha a vantagem de ser mais jovem, feminina, atraente e bem educada em comparação com suas rivais. Ela não era apenas uma economista, ela era fluente em inglês e alemão, tinha uma visão cosmopolita, e conhecia bem o Ocidente. Em todo o mundo os eleitores pareciam preferir líderes jovens e dinâmicos, e a Turquia não era exceção. O jovem Mesut Yilmaz havia assumido o Partido da Pátria de Ozal; o SHP de Inönü foi na mesma direção quando ele se aposentou e um líder mais jovem foi eleito em setembro de 1993. Fez bom sentido político eleger uma mulher atraente, casada e felizmente com dois filhos, como líder do TPP e assim fortalecer a posição do partido nas próximas eleições. Ela contrariaria as qualidades de suas rivais, especialmente entre as eleitoras, que constituíam mais da metade do eleitorado. O apoio aberto que a comunidade empresarial deu a çiller também não poderia ser ignorado. Além disso, no Ocidente, esperava-se que o sucesso dela melhorasse a imagem da Turquia como um país muçulmano voltado para o futuro em um mundo islâmico que muitas vezes parecia estar olhando para o passado em busca de inspiração.

Tansu çiller foi eleito líder da TPP em 13 de junho de 1993, e foi nomeada primeira mulher a ser a primeira primeira primeira-ministra da Turquia. Sua coalizão com a SHP ganhou o voto de confiança em 25 de junho e Tansu çiller tomou conta do destino da Turquia. Seu sucesso dependeria de sua capacidade de encontrar respostas aos muitos problemas da Turquia, especialmente a economia e a questão curda, e estas testariam as habilidades de qualquer líder.

Como o tempo passou, Tansu çiller se mostrou ineficaz para controlar o parlamento, muito menos os terríveis problemas enfrentados pelo povo turco. Insurreições curdas, inflação fugitiva e uma economia desesperadamente encolhida atormentaram seu mandato como primeiro-ministro. A instabilidade intrínseca do governo turco agravou ainda mais a situação. Em 1995, çiller foi acometida por acusações pessoais. Ela se demitiu sob pressão em setembro daquele ano. Um mês depois, em 15 de outubro, foi feito um voto de confiança e çiller foi autorizada a continuar como primeira-ministra interina até que o assunto pudesse ser resolvido. No início de 1996, çiller concordou com um governo de coalizão pelo qual Mesut Yilmaz, do Partido da Pátria, serviria como primeira-ministra até 1997, quando çiller reclamaria o cargo. çiller, no entanto, nunca voltou ao seu posto, pois as graves alegações contra ela continuavam a aumentar. Em 6 de junho de 1996, Yilmaz foi censurada pelo Parlamento, e o governo entrou em colapso. Em 8 de julho, uma nova coalizão havia sido formada. Desta vez çiller concordou em servir como vice-primeiro ministro sob Necmettin Erbakan, do Partido do Bem-Estar Social. De acordo com o acordo, çiller seria reintegrado como primeiro-ministro no ano seguinte. Em 18 de junho de 1997, Erbakan renunciou em um esforço para forçar uma eleição antecipada, o que, por sua vez, impediria çiller de reclamar o cargo de primeiro-ministro.

Leitura adicional sobre Tansu çiller

Para mais informações sobre çiller, ver The Economist, 25 de março de 1995; 21 de outubro de 1995; 9 de março de 1996; 8 de junho de 1996; 15 de junho de 1996; 21 de junho de 1997. Na Internet, visite o site http: //www.mfa.gov.tr:80/grupb/ciller.htm.


GOSTOU? PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS!