Fatos sobre Maimonides


Maimonides (1135-1204), ou Moses ben Maimon, foi o maior filósofo judeu da Idade Média. Seus comentários e a codificação da tradição rabínica o estabeleceram como uma grande autoridade religiosa no judaísmo.<

Maimonides nasceu em Córdoba, Espanha, em 30 de março de 1135. De seu pai, o rabino Maimon ben Joseph, recebeu sua educação precoce em matemática e astronomia, assim como em literatura rabínica, que interpretou as Escrituras judaicas e definiu as leis e rituais da comunidade judaica. Vivendo no sul da Espanha, Maimonides também entrou em contato com a filosofia grega e árabe, especialmente o pensamento de Avicenna.

Em 1148, quando Maimonides tinha apenas 13 anos, os almóadas conquistaram Córdoba e introduziram uma política que forçou a conversão, o exílio ou a morte dos não-muçulmanos. Após 12 anos de vagando de cidade em cidade no sul da Espanha, a família finalmente se estabeleceu em Fez, no Marrocos. Durante este período de peregrinação, Maimonides escreveu um tratado sobre o calendário judaico e começou seu comentário sobre o Mishnah, uma codificação da Lei Oral Judaica organizada de acordo com os assuntos.

Espera de abandonar a fé judaica ou sofrer o martírio, Maimonides e sua família deixaram a regra intolerante dos almóadas e navegaram para a Palestina em 18 de abril de 1165, chegando ao Acre um mês depois. Grande parte da Palestina nesta época estava sob o controle dos cruzados cristãos, e sob sua proteção Maimonides visitou muitos dos lugares santos da antiga história judaica, incluindo Jerusalém e Hebron.

No ano seguinte, a família se estabeleceu em al-Fustât (Cairo Velho), no Egito, onde Maimonides deveria permanecer para o resto de sua vida. Após a morte do pai em 1166, a família foi sustentada por um tempo pelo irmão mais novo de Maimonides, David, que se dedicava ao comércio de jóias. David morreu por afogamento durante uma viagem às Índias, e a perda dos recursos da família e de outros investidores forçou Maimonides a uma carreira na medicina. Maimonides logo se tornou o médico pessoal de al-Qadi al-Fadil, o vizinho de Saladin. Pouco tempo depois, Maimonides tornou-se o chefe de todas as comunidades judaicas no Egito, um cargo não remunerado que ocupou até sua morte.

O estabelecimento em al-Fustât permitiu a Maimonides completar seu comentário sobre o Mishnah, que apareceu em 1168 e logo se tornou popular entre as comunidades judaicas do mundo mediterrâneo. Cerca de 1180 Maimonides completou seu código da lei judaica, que teve uma recepção igualmente favorável.

O principal trabalho de Maimonides, O Guia dos Perplexos, foi concluído em 1190 e publicado em árabe. Neste trabalho, Maimonides tentou conciliar fé e razão. Foi escrito para aqueles que possuíam um conhecimento firme da fé, matemática e lógica judaica, mas que, tendo pouco ou nenhum conhecimento de física e metafísica, acreditavam que religião e filosofia se contradiziam. Maimonides acreditava que a filosofia, devidamente compreendida e utilizada, apoiava a fé em vez de destruí-la. Para demonstrar isto, ele adotou muitos dos argumentos para a existência de Deus e a natureza da alma humana encontrada em filósofos árabes como al-Farabi e Avicenna. Onde a demonstração filosófica é inconclusiva, como no estabelecimento da eternidade do mundo ou da doutrina da criação, deve-se confiar no ensinamento mais seguro da revelação, a Bíblia.

Maimonides morreu em al-Fustât em 13 de dezembro de 1204 e, após um período de luto nas comunidades judaicas do Egito, seu corpo foi transportado para a Palestina e enterrado em Tiberíades, na Galiléia. Seu Guia tornou-se o texto fundamental da filosofia judaica medieval.

Leitura adicional sobre Maimonides

Existem duas traduções em inglês do Maimonides Guide. O melhor é The Guide of the Perplexed, traduzido com uma excelente introdução de Shlomo Pines (1963). Mais antiga mas ainda útil é a tradução de M. Friedländer (1881; rev. ed. 1962). De alta qualidade é o trabalho de I. Münz, Maimonides: The Story of His Life and Genius, traduzido por H. T. Schnittkind (1912; trans. 1935). Duas coleções de ensaios sobre Maimonides que refletem a bolsa de estudos são I. Epstein, ed., Moses Maimonides: 1135-1204 (1935), e Salo Baron, ed., Ensaios sobre Maimonides: An Octocentennial Volume (1941). Também útil é A. Cohen, ed., The Teachings of Maimonides (1927; repr. 1968).


GOSTOU? PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS!