Fatos de Rama Khamhaeng


Rama Khamhaeng (ca. 1239-ca. 1299) foi rei de Sukhothai na Tailândia e o fundador do poder político tailandês no centro da Indochina. Ele continua sendo o modelo tailandês do governante patriarcal.<

Rama Khamhaeng era o terceiro filho do rei Sri Indraditya, que havia tomado o poder em Sukhothai do império cambojano de Angkor entre 1219 e 1245. Quando o irmão de Rama, o rei Ban Müang, morreu, ele herdou um pequeno reino nos contrafortes do Sião norte-central. Por uma combinação de alianças sagazes, diplomacia cuidadosa que garantiu a neutralidade dos rivais e campanhas militares vigorosas, especialmente nos anos 1290, ele estendeu seu reino a Luangprabang e à região de Vientiane no Laos ao norte, a oeste para a costa do Oceano Índico da Birmânia, e ao sul para Nakhon Si Thammarat na Península Malaia.

Parte do mito colorido mas não confiável, quase tudo o que é conhecido de Rama Khamhaeng vem de sua grande inscrição de 1292, a inscrição mais antiga conhecida na língua tailandesa e no roteiro. Este longo documento retrata o Rei como um pai para seus súditos, disponível dia e noite para peticionários de justiça, liberal em seus dons e em seu tratamento de seus vassalos, misericordioso na guerra e piedoso em sua devoção ao budismo. Seu estado é retratado como feliz e próspero: “Este estado de Sukhothai é bom”. Nas águas há peixes; nos campos há arroz”. Implícitas neste relato estão as políticas fortemente em contraste com a complexidade burocrática, impessoalidade e rigidez econômica de Angkor. Sukhothai sob Rama Khamhaeng era um estado simples, sem pretensões, onde a justiça deveria ser feita, o comércio poderia florescer, e a paz reinaria. Estas políticas, e a forte liderança do Rei, foram responsáveis pelo sucesso fenomenal do reino em destacar tanto território do poderoso Angkor. Ainda experimentando com instituições políticas, porém, o filho e sucessor de Rama Khamhaeng, Lö Thai (reinou ca. 1299-1346), foi incapaz de manter o estado unido diante dos desafios de outros príncipes tailandeses ao sul, e o reino de Ayudhya (1350-1767) acabou reduzindo Sukhothai a uma província (1438).

A inscrição 1292, perdida por muitos séculos, foi redescoberta pelo rei Mongkut, então monge budista, em 1834, e a imagem de Rama Khamhaeng, ressuscitado, tornou-se um poderoso ideal para os governantes subseqüentes.

Leitura adicional sobre Rama Khamhaeng

O reino de Sukhothai, ainda relativamente negligenciado pelos estudiosos, pode ser estudado em George Coede‧s, The Making of South East Asia, traduzido por H. M. Wright (1966), e em Alexander B. Griswold’s maravilhosos Towards a History of Sukhodaya Art (1967).


GOSTOU? PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS!