Edwin Herbert Land Facts


O físico, inventor e fabricante americano Edwin Herbert Land (1909-1991) foi o primeiro a desenvolver com sucesso um material sintético de polimerização da luz e a desenvolver uma câmera para fotografia de uma etapa.<

Edwin Land nasceu em Bridgeport, Connecticut, em 1909. Depois de freqüentar a escola preparatória, ele entrou na Universidade de Harvard. Logo se envolveu no estudo da luz polarizada e começou a fazer experimentos para desenvolver uma forma de criar o efeito artificialmente. Em luz normal, as vibrações das ondas ocorrem em todas as direções; em luz polarizada, estas vibrações são controladas e autorizadas a viajar somente em determinadas direções.

Em 1828 havia sido inventado um prisma que foi usado para polarizar a luz para instrumentos ópticos. A grande despesa do prisma, no entanto, limitou seu uso, e foi iniciada uma busca por um meio mais barato de criar o mesmo efeito; a maioria das tentativas havia se concentrado em tentar cultivar cristais muito grandes no laboratório. Land, decidindo deixar a faculdade para continuar seu trabalho em um laboratório em Nova York, abordou o problema usando muitos cristais pequenos bem empacotados para produzir o efeito de um cristal grande. Sua técnica era extrudar plástico contendo os cristais artificiais através de pequenos orifícios, garantindo assim que todos os cristais estivessem deitados na direção correta.

Produção de Sucesso no Trabalho Inicial

Durante grande parte de seu início de carreira, a Land trabalhou sozinha. Enquanto trabalhava em Nova York, porém, ele conheceu Helen Maislen, uma graduada do Smith College que se tornou sua assistente e, em

1929, sua esposa. Naquele ano, ele retornou a Harvard, onde a universidade lhe proporcionou espaço de laboratório para suas pesquisas. Land discutiu seu trabalho com George W. Wheel-wright III, um instrutor de Física em Harvard que havia sido um de seus professores. Em 1932, Wheelwright deixou o ensino para trabalhar com Land, e juntos os dois homens abriram um laboratório de física consultiva e continuaram a aperfeiçoar seu polarizador. Em 1937 a Land organizou a Polaroid Corporation, que é hoje a empresa líder no campo.

A capacidade inventiva da terra foi igualada por um senso comercial astuto. Parte de seu sucesso foi devido ao fato de ele ter licenciado seu método para várias aplicações: à American Optical Company para óculos de sol, à Eastman Kodak Company para filtros de câmera e à Bausch and Lomb Company para instrumentos ópticos.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Land trabalhou em ótica e mísseis para o Comitê de Pesquisa de Defesa Nacional. Em 1847 ele inventou a câmera Polaroid Land, o que tornou possível a fotografia em uma etapa. Em 1948 ele recebeu a cobiçada Medalha Holley da Sociedade Americana de Engenheiros Mecânicos. Nesse mesmo ano, ele desenvolveu um novo sistema óptico que permitiu aos cientistas do Instituto Sloan-Kettering observar células humanas vivas em sua cor natural. Durante a década de 1950, Land serviu como chefe de um comitê presidencial estudando formas de evitar futuros ataques furtivos aos Estados Unidos, como o que ocorreu em Pearl Harbor. A Land’s Polaroid Corporation continuou a pesquisa em ótica em geral e em visão colorida, plásticos e outros campos.

Um Sonho Realizado

As conquistas da carreira da Terra vieram em 1963, quando ele recebeu a Medalha Presidencial da Liberdade, e em 1967, quando recebeu a Medalha Nacional da Ciência, ambas apresentadas pelo Presidente Lyndon Johnson. Em 1972, a Land pôde ver um sonho antigo dele tornar-se realidade quando ele introduziu a câmera colorida instantânea SX-70 ao mundo. Land recebeu 533 patentes por suas invenções, e em 1977, o Escritório de Patentes dos Estados Unidos o introduziu no Hall da Fama do Inventor. Em agosto de 1982, a Land se aposentou. Em 1º de março de 1991, ele morreu de causas não reveladas, aos 81 anos de idade. Em uma época cada vez mais caracterizada pelo deslocamento de inventores individuais por grandes laboratórios de pesquisa industrial, a carreira da Land indica que os indivíduos ainda podem fazer contribuições para o progresso tecnológico.

Leitura adicional sobre Edwin Herbert Land

Livros sobre a Terra ou sobre sua carreira incluem Mark Olshaker, The Instant Image (1978), Peter C. Wensberg, Land’s Polaroid (1987), e Scott McPartland, Edwin Land “Masters of Invention Set” (1993).


GOSTOU? PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS!