Datos de Robert Motherwell


Embora nos anos 40 os ex-patriotas surrealistas de Nova York levassem a sério o trabalho da jovem Motherwell, e embora ele fosse um amigo do surrealista chileno Matta, ele não estava interessado no aspecto da arte surrealista. Os heróis da Motherwell foram Céezanne, Picasso, Mondrian, e especialmente Matisse. Ele considerava essas influências inevitáveis. “Meu pai tinha um vinhedo no Vale de Napa [na Califórnia]. Eu cresci em uma paisagem não muito diferente da Provença, ou no planalto central da Espanha, ou em partes da Itália e da bacia do Mediterrâneo.

No desenho, Motherwell inventou seus próprios diagramas fluidos de caligrafia elegante de estados emocionais, bem como o testemunho de uma sensação de colocação impecável. O desenho era primário; a cor era apenas um meio de transportar o conteúdo. “Eu geralmente uso poucas cores”, disse ele, “amarelo ocre, ver-milhão, laranja, verde cádmio, azul ultramarino”. Eu uso principalmente cada cor como simplesmente simbólica: ocre para a terra, verde para a grama, azul para o céu e para o mar. Acho que preto e branco, que uso com mais freqüência, tendem a ser os protagonistas”

Motherwell desfrutou de uma longa e bem-sucedida carreira de exposições nacionais e internacionais. Sua primeira exposição individual aconteceu na aventureira galeria “Art of this Century” de Peggy Guggenheim, em Nova York. Ele expôs na Galeria Kootz no final dos anos 40, na Galeria Sidney Janis até os anos 50 e início dos anos 60, e na Galeria Marlborough-Gerson no final dos anos 60. Seu trabalho também foi apresentado em importantes exposições internacionais, incluindo as Bienais de São Paulo e Veneza e a Feira Mundial de Bruxelas. Nos anos 90, seu trabalho foi exibido em galerias em Nova York, em vários outros estados americanos e em outros países.
Leitura adicional sobre Robert Motherwell


GOSTOU? PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS!